SRPCBA

Exercício de Proteção Civil pretende testar eficiência na resposta em situações de sismo

  • 21, Novembro de 2017

 

O Presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) afirmou hoje, em Angra do Heroísmo, que o exercício Touro 2017, que se realiza quarta e quinta-feira, tem como principal objetivo conseguir que "todos os agentes de Proteção Civil atinjam o maior grau de eficiência nas ações de socorro às populações em situações de sismo”.

Carlos Neves, que falava na conferência de imprensa de apresentação deste exercício, o maior que o SRPCBA organiza este ano, salientou que “todas as ocorrências" serão conduzidas como se fossem situações reais, decorrendo em “diferentes áreas da ilha Terceira”.

Para além de treinar a coordenação de todos os agentes com responsabilidade em Proteção Civil, este exercício visa ainda “treinar os efetivos dos corpos de bombeiros, testar o nível e a rapidez de resposta dos diferentes agentes de Proteção Civil neste tipo de ações e continuar a testar a rede integrada de telecomunicações de emergência”.

“A parte mais dinâmica e intensa do exercício decorrerá a 22 e 23 de novembro, num espaço temporal de 36 horas, incluindo diversos cenários, como habitações destruídas, populações isoladas e outras ocorrências que poderão suceder durante um sismo”, adiantou Carlos Neves.

O Presidente do SRPCBA alertou para a importância da participação da população neste exercício, através de voluntários e figurantes, destacando que a Proteção Civil "começa por cada um de nós”.

Nesse sentido, considerou que estes exercícios servem também para preparar as pessoas a reagir em caso de catástrofe.

Para além dos bombeiros das ilhas Terceira, Faial, Pico e São Jorge, além da Madeira, estarão envolvidos neste exercício as direções regionais da Saúde, do Turismo, das Obras Públicas e Comunicações, da Habitação, do Ambiente, dos Recursos Florestais e do Turismo, assim como o Laboratório Regional de Engenharia Civil, o Instituto da Segurança Social dos Açores e o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores.

O exercício também envolverá as duas câmaras municipais da ilha Terceira, através dos seus serviços municipais de Proteção Civil, a PSP, a GNR, as associações de radioamadores da ilha Terceira e o Comando Operacional dos Açores, através dos seus diferentes ramos e valências.

GaCS/AIC