SRPCBA

Presidente do SRPCBA destaca "capacidade de resposta" dos agentes de Proteção Civil no exercício ’Touro 2019’

  • 07, Julho de 2019

O Presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) manifestou hoje satisfação pela forma como decorreu o 'Touro 2019', o maior exercício de Proteção Civil que se realiza nos Açores.

Carlos Neves destacou a “capacidade de resposta dos agentes de proteção civil, dos bombeiros, com a coordenação do SRPCBA, mas também com a participação de todos os agentes e entidades com responsabilidade na área da proteção civil”.

O Presidente do SRPCBA falava aos jornalistas no balanço final do exercício, nas Lajes do Pico, concelho onde decorreu o último cenário, que consistia na simulação da evacuação da população da localidade de Terra do Pão, na freguesia de São Caetano.

Posteriormente, os figurantes foram transportados até ao Parque Florestal de São João, onde estava montado pelo Comando Operacional dos Açores um Ponto de Reunião e Irradiação de Desalojados.

Carlos Neves referiu que foi também atingido o objetivo que passava por “criar as situações necessárias à ativação das comissões municipais de Proteção Civil dos três concelhos da ilha Pico”, o que permitiu “testarem as suas competências, conhecerem melhor as suas responsabilidades e as valências que cada concelho possui para responder em situação de crise ou de catástrofe”.

O 'Touro 2019', que decorreu desde sexta-feira, consistiu na simulação de vários eventos sismológicos de origem vulcânica, sentidos pela população, que provocaram “50 incidentes, dos quais 30 reais”, com uma série de cenários, como, por exemplo, “situações de pessoas desalojadas, derrocadas, movimentos de vertentes, incêndios”, permitindo “testar todos os meios envolvidos, por forma a que se consiga atingir uma resposta adequada, rápida e eficaz no socorro às populações".

Carlos Neves agradeceu “a grande motivação e disponibilidade de todos para atuarem no exercício”, que envolveu este ano cerca de 500 participantes com intervenção direta e indireta, entre operacionais, entidades e figurantes.

Para além dos oito corpos de bombeiros do Grupo Central, participaram as direções regionais da Saúde, da Habitação, das Obras Públicas e Comunicações, do Ambiente, dos Recursos Florestais e dos Assuntos do Mar, assim como o Laboratório Regional de Engenharia Civil, o Instituto de Segurança Social dos Açores, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores e a Portos dos Açores.

O exercício contou também com a participação das câmaras municipais da Madalena, de São Roque do Pico e da Lajes do Pico, através dos serviços municipais de Proteção Civil, do Comando Operacional dos Açores, através dos seus diferentes ramos e valências, bem como da PSP, da GNR, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, das associações de radioamadores, da Associação Guias de Portugal, da Junta Regional do Corpo Nacional dos Escuteiros e Escuteiros Marítimos, da Associação de Escoteiros de Portugal e da Capitania do Porto da Horta.

GaCS/SRPCBA

Imprimir